O que é economia circular e como apostar neste modelo

245

Você já parou para pensar como funciona a economia mundial? Hoje, estamos inseridos num sistema de produção linear, baseada na extração de recursos naturais: produtos feitos a partir de tais recursos são utilizados até se tornarem obsoletos ou descartados.

Já deu para ver que este sistema não é o melhor amigo do meio ambiente, não é? A economia circular vem como uma alternativa ao modelo atual, já bastante arcaico. 

Dado que os limites planetários estão chegando a um nível de manutenção insustentável, a economia circular propõe um sistema industrial baseado na restauração/regeneração. A ideia é que os produtos e/ou seus componentes não tenham fim, ou seja, que possam ser restaurados ou utilizados para outros propósitos.

Isso pressupõe que toda a cadeia produtiva seja adaptada. É preciso que haja menor geração de impacto, uso de energia renovável, substituição de químicos nocivos e eliminação de resíduos. Estas mudanças são causadas a partir de conceitos como design regenerativo, economia de performance, biomimética, biologia sintética, etc.

Um conceito importante para entender economia circular é cradle to cradle, ou seja, do berço ao berço: nada tem fim, nada é residual; tudo funciona como nutriente para outra coisa. Um exemplo que facilita essa compreensão: restos orgânicos da alimentação dos animais se transformam em adubo. Resíduo é insumo. 

A economia circular coloca os cinco Rs da sustentabilidade (repensar, recusar, reduzir, reutilizar e reciclar) em prática – e vai além: prevê outros processos de criação e design de produtos, que devem levar em consideração a reutilização de materiais e o reaproveitamento de resíduos sólidos; se baseia no uso em cascata dos materiais para que eles permaneçam o maior tempo possível no sistema; concebe produtos que poderão ter suas matérias-primas reutilizadas a longo prazo. 

No Brasil, por incrível que pareça, 76% das indústrias desenvolvem algum tipo de economia circular. Isso é benéfico, claro, mas, segundo os responsáveis por algumas das empresas, as iniciativas começaram no intuito de reduzir custos ou aumentar a eficiência operacional. O meio ambiente ficou em segundo plano.

Esta é uma das provas de que precisamos bater cada vez mais na tecla da sustentabilidade. Precisamos repensar juntos em como nossa sociedade funciona, como podemos contribuir para que os recursos naturais não se esgotem e, acima de tudo, quais ações devem ser tomadas para que tenhamos resultados PERMANENTES na preservação do meio ambiente.

Vamos juntos? A natureza precisa de nós. Não temos mais tempo! Precisamos agir! Você conhece alguma iniciativa que lança mão da economia circular por amor ao meio ambiente? Se sim, me marque no Instagram – e aproveite para me seguir! É @mariaviroueco. Espero você por lá!

 

Um beijo e até mais,

Maria Virou Eco

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite o seu nome aqui