Os 7 tipos de plásticos que você precisa conhecer!

311
A lot of different garbage on the table and the recycling icon between them
A lot of different garbage on the table and the recycling icon between them

O plástico é um dos materiais mais comuns encontrados por aí, e a sua produção mundial é gigantesca. O Brasil é um dos maiores produtores de plástico do mundo e, por isso, devemos entender como cada um deles afeta o meio ambiente e quais são as melhores práticas que podemos adotar no nosso dia-a-dia. 

Apesar de muitos não saberem, nem todo plástico é igual. Isso mesmo! Na verdade, existem 7 tipos de plástico, cada um com as suas especificidades. Eles são utilizados em diferentes aplicações e apresentam modos de reciclagem diversos também. 

O símbolo que identifica o tipo de plástico é muito similar ao carimbo de reciclagem, mas são coisas completamente distintas. Para descartar de maneira correta, é necessário prestar atenção ao número que se encontra dentro do símbolo plástico. 

Basicamente, os plásticos são divididos em duas categorias: os termoplásticos e os termorrígidos. Os primeiros são recicláveis, enquanto os segundos não o são. Isso porque os termoplásticos podem ser aquecidos sem alterar suas propriedades químicas, facilitando no processo de reciclagem. Dessa maneira, eles são potencialmente recicláveis.

Já os termorrígidos são de difícil reciclagem pois não se desfazem sob altas temperaturas. Na verdade, ele se decompõe. O que torna o processo de reciclagem quase inviável.

Confira aqui os 7 principais tipos de plástico:
  1. PET (polietileno tereftalato): algumas das suas principais aplicações são garrafas para bebidas, frascos para alimentos, cosméticos e produtos de limpeza. O plástico tipo PET é reciclável, porém é produzido a partir do petróleo, uma fonte não renovável. Apesar disso é realmente reciclado no Brasil, movimentando o mercado de reciclagem. 
  1. PEAD (polietileno de alta densidade): por ser quimicamente resistente, é aplicado em embalagens de produtos de limpeza e produtos químicos. É também utilizado em sacolas de supermercado e garrafas de detergente, por exemplo.  Ele é sim reciclável, pois é caracterizado como um termoplástico.
  1. PVC (policloreto de Vinila ou cloreto de vinila): apresenta uma grande versatilidade, é usado em embalagens de alimentos, cosméticos e medicamentos, em mangueiras, tubos e conexões, em revestimentos de pisos e até como “couro sintético”. Você vai encontrá-lo em embalagens para água mineral, maioneses e sucos, assim como em brinquedos e tubulações de água e esgoto. Apesar de sua reciclagem ter aumentado no Brasil, o material possui uma substância tóxica que pode aderir ao organismo e levar a um caso cancerígeno.
  1. PEBD (polietileno de baixa densidade): esse plástico é especialmente utilizado em embalagens flexíveis para alimentos, mas pode também ser aplicado em embalagens para produtos de higiene pessoal e tubos para irrigação. Por ser também um termoplástico, ele é reciclável.
  1. PP (polipropileno): é utilizado em utilidades domésticas gerais, como frascos e embalagens. É possível encontrar também em caixas de bebidas, autopeças, fraldas e seringas descartáveis. Apesar de ser reciclável, sua variação BOPP, encontrada em embalagem de salgadinhos e biscoitos é de difícil reciclagem. Isso porque ele é um plástico metalizado. 
  1. PS (poliestireno): aqui temos o famoso isopor, mas é utilizado também em pratos, talheres e copos descartáveis, potes de iogurte e sorvete, bandejas de supermercado, aparelhos de barbear descartáveis e brinquedos. É um plástico reciclável.
  1. Outros plásticos: esses são todos os plásticos que não podem ser classificados em alguma das seis categorias acima. 

É muito importante que a gente saiba diferenciar cada tipo de plástico, pois isso ajuda muita na separação e destinação correta do lixo.

Além desses fatores, a viabilidade econômica influencia muito nesse processo. Plásticos que apresentam viabilidade de reciclagem, podem não ser, de fato, reciclados, por conta de implicações econômicas. É válido também pressionar governos e empresas a tomarem a atitude certa.

Por isso, é o que eu sempre digo, o melhor a se fazer é tentar reduzir o consumo desses materiais e buscar alternativas mais sustentáveis e passíveis de reutilização. Como ainda é muito difícil desfazer-se completamente dos plásticos em nossa vida, lembre-se sempre de fazer o descarte correto desse material. Ou seja, sempre LIMPOS!

 

Espero que eu tenha te ajudado!

 

Um beijo,

 

Maria Virou Eco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite o seu nome aqui