Quarta sem carro: o que tenho a ver com isso?

275

Quarta-feira é dia de que? Não, não é de usar rosa – mas se quiser pode! Estou falando sobre não usar carro. Apenas um diazinho na semana para experimentar formas alternativas de mobilidade e descobrir que é possível se locomover pela cidade utilizando outros meios de transporte. Faça parta da quarta sem carro!

 

“Ah, Maria, mas o transporte público da minha cidade é ruim”! Eu super entendo quem me diz isso, de verdade. Mas quando você deixa o carro em casa, pode utilizar a bicicleta, ir caminhando ou fazer um sistema de rodízio de caronas – em que cada quarta sem carro uma pessoa é responsável por levar um grupo que compartilha o mesmo caminho. Claro, nas cidades que tem metrô, por exemplo, melhor ainda!

 

O que tenho a ver com a quarta sem carro?

Eu sei que o carro é uma invenção formidável, ainda mais quando se trata de pessoas com restrição de mobilidade, idosos e bebês, mas pense que a má utilização do veículo representa um problema crescente para a sociedade e para o planeta. Por isso, fazer parte da quarta sem carro é realmente trabalhar em favor de um bem maior: o seu!

 

Entendo que inúmeros fatores contribuem para o uso de automóveis, principalmente o planejamento das cidades, e essa logística de investimentos que prezam pelos carros em detrimento de ferrovias e hidrovias tem alto custo para a economia do país, mas isso é assunto para um outro post. O fato é que realmente, em muitos lugares, participar da quarta sem carro demanda esforço, de qualquer maneira, tenha certeza que é um esforço mais do que válido.

 

Vai, planeta!

Não tenho dados totais referentes ao Brasil, mas, usando apenas a cidade de São Paulo como referência, já é possível ter uma ideia do impacto ambiental que a utilização de carros estimula. É a cidade com a maior frota do país: 9 milhões de automóveis segundo dados de 2012. Com certeza, esse número já cresceu muito. Se todos aderissem à quarta sem carro, mais de 500 toneladas* de monóxido de carbono deixariam de ser emitidas. É muita coisa para uma única cidade!

 

Grande parte do problema começa com a falsa ideia de que ter um carro representa ser bem sucedido, e que você sempre deve ser visto na posse dele. É mais ou menos um selo invisível que ascende o status social e que regula a vida de muitos que nem param para pensar. Esse valor agregado ao automóvel acaba sendo um dos maiores símbolos do individualismo, ainda mais quando vemos uma pessoa para cada veículo e muitas de uma mesma família passando pelos mesmos lugares diariamente.

 

Aderir à quarta sem carro é um empurrãozinho para deixar as cidades menos congestionadas, poluídas e estressantes. Mas se você pode fazer isso em outro dia da semana, faça. A quarta virou apenas um símbolo, o que realmente importa é a atitude. Você vai economizar dinheiro – e ajudar o meio ambiente!

 

Espero que tenha gostado do artigo. Continue acompanhando o blog, toda semana vou falar de assuntos que tenham impacto no mundo a partir de uma pequena atitude nossa. Me siga também no instagram, você vai encontrar outras dicas por lá!

 

* Dados da Cetesb, Prefeitura de São Paulo, Ministério do Meio Ambiente e ONG Vá de Bike

 

Até mais!

 

Maria Virou Eco

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite o seu nome aqui